Atividades!

Agora vocês podem jogar com as atividades relacionadas ao assunto do nosso blog!

Acessando ATIVIDADES e escolhendo sua atividade preferida!

Divirtam-se!

 

:: Postado por MuNiQuE & GuStAvO & CaRoL às 21h34
::
:: Enviar esta mensagem

Até semana que vem... com mais novidades!!

Beijos...

 

:: Postado por MuNiQuE & GuStAvO & CaRoL às 21h35
::
:: Enviar esta mensagem

Borboletas Recados

:: Postado por MuNiQuE & GuStAvO & CaRoL às 21h32
::
:: Enviar esta mensagem

Imagem:Borboleta px cp Sta crz 040206 D.JPG    Borboletas em Cópula... (Fazendo BBzinhus) hehe...

:: Postado por MuNiQuE & GuStAvO & CaRoL às 21h31
::
:: Enviar esta mensagem

Olá pessoal.........estamos de volta com mais um capítulo da miniserie "Os Borboletos" hehehehe...

Só que ninguém deixa comentário :(

 

O que será que os internautas estão pensando...

 

Veremos o que iremos aprender hoje??

:: Postado por MuNiQuE & GuStAvO às 19h58
::
:: Enviar esta mensagem

Fuissssssssssssssssss....

:: Postado por MuNiQuE & GuStAvO às 21h41
::
:: Enviar esta mensagem

Aguardamos resposta heim?!

 

 

Inté a próxima, aproveitem a chuvinha...

:: Postado por MuNiQuE & GuStAvO às 21h38
::
:: Enviar esta mensagem

Alguém sabe quais são as espécies de Borboletas extintas no Brasil?? Desafio os internautas a descobrirem a lista juntamente com imagens das Borboletas apresentadas...     Flw!!

Bjokas...

:: Postado por MuNiQuE & GuStAvO às 21h34
::
:: Enviar esta mensagem

 Este blog foi criado pelos amantes de borboletas..hehehehe e também para aqueles que gostam de sentir-se borboletas livres para voar.....

 

Aproveitam bastante o nosso Blog....

att ... nós

:: Postado por MuNiQuE & GuStAvO às 21h01
::
:: Enviar esta mensagem

Espécie de Butterfly encontrada no Brasil...

:: Postado por MuNiQuE & GuStAvO às 20h53
::
:: Enviar esta mensagem

 

 

Borboleta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 


As borboletas são insectos da ordem Lepidoptera classificados nas super-famílias Hesperioidea e Papilionoidea, que constituem o grupo informal Rhopalocera.

As borboletas têm dois pares de asas membranosas cobertas de escamas e peças bucais adaptadas a sucção. Distinguem-se das traças (mariposas) pelas antenas rectilíneas que terminam numa bola, pelos hábitos de vida diurnos, pela metamorfose que decorre dentro de uma crisálida rígida e pelo abdómen fino e alongado. Quando em repouso, as borboletas dobram as suas asas para cima.

As borboletas são importantes polinizadores de diversas espécies de plantas.

O ciclo de vida das borboletas engloba as seguintes etapas:

:: Postado por MuNiQuE & GuStAvO às 20h45
::
:: Enviar esta mensagem

Borboletas

Classificação científica

 
 

 

 

:: Postado por MuNiQuE & GuStAvO às 20h36
::
:: Enviar esta mensagem

Borboletas: as  cores  da  leveza

 

J. R. Araújo

 

As borboletas constituem um importante grupo da família dos insetos e pertencem à ordem dos Lepidópteros, termo que significa literalmente “asas em escamas”. As escamas são coloridas e sobrepostas, formando desenhos intricados de rara beleza. As cores podem ser fortes, suaves, metálicas ou iridescentes, formadas por diferentes pigmentos e micro-texturas que, devido aos efeitos de refração e difração da luz incidente, conferem nuances das mais variadas tonalidades nas asas desse lindo animal.

Como os insetos, têm o esqueleto por fora do corpo, chamado exoesqueleto, que não apenas forma a estrutura de suporte, mas também revestem todo o corpo do animal, impedindo a perda de água, protegendo-as da desidratação total e das pressões ambientais.

Nas regiões tropicais, encontramos o maior número de espécies e as maiores e mais belas borboletas e mariposas, visto que o clima quente, a umidade e a grande variedade de plantas oferecem a elas condições ambientais favoráveis e alimento em abundância.

As borboletas variam em tamanho desde as mais minúsculas com cerca de 3 milímetros de tamanho Phyllocnistis spp até as maiores com pouco mais de 30 centímetros Attacus Atlas ou a Ornithoptera alexandrae com 28 cm de uma  extremidade a outra  de suas asas.

 

:: Postado por MuNiQuE*GuStAvO*CaRoL às 21h12
::
:: Enviar esta mensagem

Ciclo  de  Vida 

A transformação da freqüentemente feia e bizarra lagarta em uma elegante borboleta é realmente um dos milagres executados pela Natureza.

No ciclo de vida, ss borboletas processam uma metamorfose completa em quatro fases bem definidas e bastante distintas como ovos, larvas, crisálidas e adultas. 

        Ovos de borboleta

Ovos - após o acasalamento, que pode durar até cerca de uma hora, a fêmea procura as plantas adequadas para a postura dos ovos. Nesta tarefa, conta com uma peculiar habilidade das patas, que pode sentir o sabor das folhas das plantas, a adequação nutritiva e a ausência de fitotoxinas, pois essas folhas serão parte do cardápio exclusivo das larvas.  Não se sabe o número exato de ovos que uma fêmea pode depositar na parte superior das folhas das plantas escolhidas, mas a postura pode decorrer em algumas horas ou em muitos dias, e os ovos variam em tamanho, forma  e coloração de acordo com a  espécie. 

            Lagarta / larva  da  borboleta

Larvas – ao chegar o momento de saírem dos ovos, os lepidópteros assumem uma forma larval, as conhecidas lagartas. Estas abrem caminho, comendo as cascas dos ovos em que estavam contidas, preparam uma espécie de ninho na parte inferior de alguma folha e de imediato começam a comer as partes vegetais da planta em que se encontram, cortando-as e mastigando-as com suas poderosas mandíbulas. Devido a um determinado hormônio que segregam, as lagartas não param de comer; algumas comem durante o dia inteiro, outras o fazem durante toda a noite. No período destinado ao descanso, digestão e absorção dos nutrientes, voltam para esse ninho construído, sob a folha que, curiosamente, evitam comer. São comedoras vorazes, quase que insaciáveis, pois precisam se alimentar dos nutrientes necessários para o período de hibernação de sua próxima fase de vida e para isso necessitam armazenar bastante energia. À medida que a produção desse hormônio diminui, as lagartas consomem cada vez menos folhas. Quando param de comer  por completo,  estão preparadas para a nova fase. 

       Crisálida

                                                               

Crisálidas – também denominadas pupas, é o estágio seguinte, quando a larva  procura a parte inferior de uma folha ou um galho mais resistente  onde possa se enrolar  em uma espécie de capa protetora e se transformar por completo. Algumas mariposas, a partir de uma glândula próxima da boca, produzem uma teia de material salivar que em contato com o ar adquire consistência de fios muito resistentes. Tecidos em torno da pupa para aumentar sua proteção, essa capa é denominada casulo. Algumas espécies são cultivadas para que esses fios sejam utilizados na indústria têxtil, a produção da seda. Os fios de seda são os fios que compõem o casulo dessas mariposas.  Desde a antiguidade, no Japão e China, a  mariposa  parda  Bombyx mori (acima) é utilizada na indústria da seda que é uma fibra natural de proteína, composta de fibrina. A sericina é uma goma protéica responsável pela união das fibrinas que compõem os fios de seda. Os filamentos da seda são resistentes e podem ter comprimentos que variam entre 300 a 900 metros! A produção da seda, entretanto, envolve a aniquilação das crisálidas contidas nos casulos que são colocados, ainda vivas, em água quase fervente no processo de obtenção  dos fios de seda, que depois de tingidos são utilizados na fabricação de tecidos.  

Adultas após a metamorfose completa, as borboletas adultas  eclodem  dos  casulos  e esperam horas, para que as asas úmidas  e encolhidas endureçam para se adequarem ao vôo. A partir daí, iniciam a fase de acasalamento. Os machos são visto, com freqüência, rondando as fêmeas recém saídas da fase de crisálida, antes mesmo que elas possam adquirir a plena capacidade de voar.  Após a fecundação, as fêmeas procuram depositar os ovos na parte superior das folhas  de plantas hospedeiras adequadas ao desenvolvimento das lagartas. Para garantir a perpetuação da espécie, as borboletas são dotadas de extraordinária sensibilidade. Segundo experimentos, podem enxergar as cores com maior sensibilidade ao vermelho, verde e amarelo, e podem sentir o sabor das folhas com as patas, o que facilita na procura de folhas de plantas adequados à oviposição.

Estudos recentes indicam, também, que as borboletas não têm um padrão de vôo aleatório. A partir de micro-transmissores, pesando apenas 12 miligramas, colocados nos corpos desses delicados insetos, cientistas britânicos puderam monitorar e vôo de várias borboletas. Concluíram que existem basicamente dois tipos de vôo. O vôo rápido, em linha reta, no qual a borboleta se deslocam em velocidade nas rotas migratórias, e o vôo lento, em voltas e círculos, com o propósito de encontrar alimentos, locais para depósito dos ovos e futura hibernação das pupas. 

                     ===============================     ============================== 

:: Postado por MuNiQuE*GuStAvO*CaRoL às 21h09
::
:: Enviar esta mensagem

Os lepidópteros exploram diferentes recursos alimentares durante seu ciclo de vida. As larvas de borboletas são tipicamente folívoras, enquanto os adultos consomem alimentos fluídos, como o néctar que extraem das flores ou o suco dos frutos maduros que caem das árvores.

Há que se atentar para o fato de que, no processo evolutivo, a associação de determinados grupos de insetos (gêneros, tribos, subfamílias etc.) obedece uma inter-dependência bastante rígida e exclusiva (famílias, gêneros, espécies etc.) com as plantas hospedeiras  que  compõem  sua  alimentação. Além disso, os micro-habitats dessas plantas fornecem um lugar seguro para a reprodução e subsistência dos indivíduos e preservação de sua espécie. A interdependência das espécies de insetos (como polinizadores) e plantas (como fonte de alimento) é tão sofisticada e exclusiva que o desaparecimento de um grupo compromete irremediavelmente  a  existência  do  outro.

Para ilustrar a importância desses insetos no meio ambiente e exemplificar o que dissemos acima, temos o mais famoso dos casos  de  previsão da existência de uma espécie  na  Entomologia.

 

    Angraecum Sesquipedale

    com seu rostrellum (tubo)

         curvado para cima

A mariposa Esfinge de Morgan, originária de Madagascar, tem uma tromba (probóscides) com cerca de 31 a 36 centímetros de comprimento que a permite coletar alimentos (néctar) de um tipo de orquídea que foi  estudada por Charles Darwin. Em sua obra, “On the Various Contrivances by Which British and Foreign Orchids are Fertilized by Insects”, publicada em 1862, Charles Darwin predisse: “ . . . è surpreendente que qualquer inseto seja capaz de alcançar o néctar . . . Mas em Madagascar deve existir mariposas com probóscides com uma extensão de 25 a 28 centímetros . . . As políneas não poderiam ser coletadas a menos que uma imensa mariposa, com um probóscides maravilhosamente longo tentasse sugar a última gota. Se essa mariposa viesse a se tornar extinta em Madagascar, certamente que o Angraecum também seria extinto . . .”

    Xanthopan coletando néctar 

  

 

Quarenta anos depois, em 1903, Walter Rothschild e Karl Jordan descobriram e descreveram  essa mariposa  e deram-lhe o nome de Xanthopan morgani  predicta, que salienta o importante fato de ter tido sua existência predita pelo famoso naturalista inglês, ao estudar a orquídea Angraecum sesquipedale. Essa orquídea produz e armazena néctar no fundo de um longo tubo (rostrellum). Ao tentar coletar esse doce líquido, a mariposa introduz sua longa espirotromba (probóscides) neste tubo e, ao fazê-lo, coleta as políneas que estão estrategicamente dispostas, e que serão levadas e depositadas em outra orquídea, polinizando-a. Assim, para que essa orquídea com um tubo (rostrellum) de mais de 30 cm possa existir é necessário que um polinizador equipado com uma tromba de igual dimensão também exista. Foi exatamente isso que a Xanthopan morgani predicta  veio  comprovar!

  Angraecum eburneum

 

Em 1991, Gene Kritsky, o famoso entomologista americano, fez outra previsão com referência a uma outra orquídea do mesmo gênero, a Angraecum eburneum variedade longicalcar, que tem um tubo ainda maior que a Angraecum sesquipedale. Desde então, Kritsky e outros cientistas dedicam-se a encontrar essa mariposa, ainda desconhecida, equipada com uma tromba medindo aproximadamente 40 cm e responsável pela polinização dessa orquídea.

 

O Brasil, por sua dimensão e pelo clima tropical, tem uma quantidade e variedade de grandes e belas espécies. Entre as famílias de borboletas de maior importância, contamos com os Ninfalídeos, Papilionídeos, Pierídeos, Licenídeos, e Hesperiídeos, dentre outros. Abaixo temos representantes dessas famílias.  

Clique  nas  figuras  abaixo  para  visualização        

                                                                                      

             Nimphalídeos              Papillionídeos               Pierídeos                  Licenídeos              Hesperiídeos   

 

A agricultura intensiva, o uso de fertilizantes, pesticidas e inseticidas em geral, está contribuindo para o desaparecimento de muitas espécies de borboletas.  Pior que tudo, é a degradação do meio ambiente e o desmatamento indiscriminado, o avanço de urbanização de áreas onde antes havia parques e vegetação apropriada, com plantas integrantes da dieta das borboletas nas diferentes fases do seu ciclo de vida. A substituição, nos jardins das residências e parques públicos, de plantas nativas, por espécies estranhas à flora local também contribui para o problema.

Existem muitas espécies ainda a serem descobertas. Com as alterações do meio-ambiente ou mesmo a destruição total de seus habitats, certamente jamais serão conhecidas. Muitas espécies são caçadas à exaustão, devido a sua beleza, para comporem peças artesanais de, no mais das vezes, gosto duvidoso, ou, ainda, para integrarem coleções particulares desprovidas de qualquer interesse ou conteúdo científico.

Muitas espécies nativas de borboletas estão em risco de extinção (em muitos países, elas são protegidas por lei).  Ao final deste artigo, divulgamos o site oficial do Ministério do Meio-ambiente, onde estão listadas as espécies que correm risco de extinção.

NUNCA tente pegar uma borboleta com as mãos, pois suas asas por demais delicadas perdem as escamas que saem como se fossem um finíssimo pó ou podem se romper facilmente condenando-a a não mais voar. Não tocá-las, reflete mais um gesto pessoal de gentileza que de consciência ecológica. As borboletas dependem do vôo para concluir seu ciclo vital.

Assim como imaginam os poetas, as borboletas são muito delicadas. Delicadas, encantadoras e coloridas. Quando em vôo errante, parecem brincar entre as flores dos jardins como poetizou  Vinícius de Moraes em seu poema As Borboletas - "brincam na luz as belas borboletas". Ao brincarem na luz, parecem cores esvoaçantes, flores que voam ou luzes aladas . . . são por demais delicadas, gentis e sua metamorfose é um inefável mistério. Ninguém consegue ficar indiferente, ao deparar-se, em um jardim, com essa maravilhosa combinação - flores e borboletas! Uma associação perfeita . . .  maravilhosa!

Há algo de verdadeiramente mágico, na transformação de uma lagarta em uma bela borboleta. Mais que uma mudança, sugere mesmo uma transmutação. Algo bem profundo. Ao se fecharem em si, como crisálida,  fecham-se para o mundo e isso permite toda essa transformação, que vem de dentro para a superfície. Elas bem guardam isso, como íntimo  segredo. Dentro do casulo, acontece esse momento mágico, sutil que explode em rara beleza,´pois, entre as belezas e mistérios dos jardins, quem quer que tenha imaginado as fadas certamente se inspirou nas delicadas e graciosas borboletas.

:: Postado por MuNiQuE*GuStAvO*CaRoL às 21h04
::
:: Enviar esta mensagem

Meu Perfil




BRASIL , Sul , CANOAS , FATIMA , Mulher , de 20 a 25 anos
MSN -

Meu Humor

Links

:: ATIVIDADES
:: Natureza
:: Borboletas e Mariposas
:: Meio Ambiente
:: Enciclopédia

Votação

Dê uma nota para meu blog

..:: INDIQUE ESSE BLOG ::..

15/06/2008 a 21/06/2008

01/06/2008 a 07/06/2008

25/05/2008 a 31/05/2008

18/05/2008 a 24/05/2008

Visitas

Créditos

Layout por

..:: Carmem Design ::..
Todos os direitos reservados ©

..::     Carmem Design  ::..